segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Sucesso X Valor

Um fazendeiro colecionava cavalos e só faltava uma determinada raça.

Um dia ele descobriu que o seu vizinho tinha este determinado cavalo.

Assim, ele atazanou seu vizinho até conseguir comprá-lo.

Um mês depois o cavalo adoeceu, e ele chamou o veterinário:

- Bem, seu cavalo está com uma virose, ? Precisa tomar este medicamento durante 3 dias, no terceiro dia eu retornarei e caso ele não esteja melhor, será necessário sacrificá-lo. Neste momento, o porco escutava toda a conversa.

No dia seguinte deram o medicamento e foram embora. O porco se aproximou do cavalo e disse:

- Força amigo! Levanta daí, senão você será sacrificado!

No segundo dia, deram o medicamento e foram embora.

O porco se aproximou do cavalo e disse:

- Vamos lá amigão, levanta senão você vai morrer !

Vamos lá, eu te ajudo a levantar... Upa!

No terceiro dia deram o medicamento e o veterinário disse :

- Infelizmente, vamos ter que sacrificá-lo amanhã, pois a virose pode contaminar OS outros cavalos.

Quando foram embora, o porco se aproximou do cavalo e disse:

- Cara, é agora ou nunca, levanta logo! Coragem! Upa! Upa! Isso, devagar! ótimo, vamos um, dois, três, legal, legal, agora mais depressa vai... Fantástico!

Corre, corre mais! Upa! Upa! Upa!!! Você venceu Campeão!

Então, de repente o dono chegou, viu o cavalo correndo no campo e gritou:

- Milagre! O cavalo melhorou. Isso merece uma festa...

'Vamos matar o porco!'

Isso acontece com freqüência no ambiente de trabalho.

Nem sempre alguém percebe quem é o funcionário que tem o mérito pelo
Sucesso.

Saber viver sem ser reconhecido é uma arte , afinal quantas vezes fazemos o papel do porco amigo ou quantos já nos levantaram e nem o sabor DA gratidão puderam dispor ?

Se algum dia alguém lhe disser que seu trabalho não é o de um profissional, lembre-se:

AMADORES CONSTRUÍRAM A ARCA DE NOÉ E PROFISSIONAIS, O TITANIC.

Procure ser uma pessoa de valor, em vez de ser uma pessoa de sucesso!!!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

sábado, 17 de outubro de 2009

PARA ASSISTIR E MEDITAR...!

video

EXCELENTES FRUTOS


por Charles Haddon Spurgeon


“Excelentes frutos, novos e velhos; eu tos reservei, ó meu amado” (Ct. 7:13).
A esposa deseja dar a Jesus todos os seus frutos. Nosso coração tem "toda a sorte de frutos agradáveis", tanto "novos" quanto "velhos", e eles estão reservados para o nosso Amado. Na rica estação do outono, vamos verificar nossos depósitos. Temos frutos novos . Desejamos sentir nova vida, nova alegria, nova gratidão; desejamos tomar novas resoluções e realizá-las com novos trabalhos; nosso coração floresce com novas preces, e nossa alma se compromete a novos esforços. Mas, também temos alguns frutos antigos . Há o nosso primeiro amor: um fruto selecionado! e Jesus Se deleita nele. Há a nossa primeira fé: aquela fé simples, pela qual, não tendo nada, nos tornamos possuidores de tudo. Há aquela alegria de quando conhecemos o Senhor: vamos reavivá-la! Há antigas lembranças de Suas promessas. Como Deus tem sido fiel! Na doença, como Ele afofou nossa cama! Em águas profundas, com que tranqüilidade nos fez flutuar!
Na fornalha de fogo, quão graciosamente nos livrou. Frutos antigos, sem dúvida! Temos muitos deles, pois Suas misericórdias excedem os nossos fios de cabelo.
Velhos pecados que devemos lamentar, mas que depois tivemos o arrependimento que Ele nos deu, o qual nos fez chorar nosso caminho na cruz e conhecer o mérito do Seu sangue. Temos frutos nesta manhã, tanto novos quanto velhos; mas, o principal é - estão todos reservados para Jesus. Verdadeiramente, essas são as melhores obras e as mais aceitáveis, nas quais Jesus é o único alvo da nossa alma, e Sua glória, sem que haja qualquer mistura, o fim de todos os nossos esforços. Reservemos todos os frutos unicamente para o nosso Amado; mostremo-los enquanto Ele estiver conosco e não os levantemos para contemplação dos homens. Jesus, trancaremos a porta do nosso jardim e ninguém entrará para roubar de Ti um único fruto do solo que Tu regaste com o Teu sangue. Todos serão Teus, unicamente Teus, ó Jesus, nosso Amado!


Fonte: Morning and Evening (Devocional matutina do dia 01 de outubro)


Tradução: Mariza Regina Souza

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Se não vos tornardes como uma criança...!

A imagem fala por si só... a inocência! Que fase maravilhosa de nossas vidas quando nossa única preocupação é apenas com as necessidades básicas. Maslow, em sua famosa pirâmide das necessidades humanas, deve ter se inspirado em algo parecido para escrever sua tese.
Porém há algo mais profundo implicito nesse quadro (ao menos em minha opinião): Deus deseja que cada um de nós entenda que Seus cuidados são perfeitos, e, mesmo quando sofremos algum tipo de ação desagradável por parte da vida, essa ação passa a ter caráter didático-disciplinatório que visa nosso crescimento.
O grande segredo é "acordar", "perdoar", "esquecer", "sorrir" e "recomeçar" como se nada tivesse acontecido e lançar-se nos braços do Pai Celestial em busca da segurança e amor que só Ele pode nos dar. A prova disso é/foi/será o Calvário... o maior indicativo do amor divino!

TIPOS DE AMOR (parte final)

•d) EROS – Amor físico que emana dos sentido, entre sexos opostos:
•Relacionado à parte sexual e sensual (Sentir). Eros é o amor biológico, físico, sensorial, hormonal, visceral, sensual. É o amor que é atraído pelo charme, beleza, elegância, graça, delicadeza, pelas formas. É boa palavra e define bem o aspecto das diferenças sexuais.
•O Eros atrai o homem para a mulher e a mulher para o homem. Fora disso é perversão:
•homem + homem, mulher + mulher, desvios que recebem o nome de homossexualismo; adulto + criança é pederastia ou pedofilia; ser humano + animal tem o nome de bestialismo. Essas perversões encontram reprovação na Escritura Sagrada: (Lev.18.22,23; 20.13,15,16).
•Eros é o instinto sexual. (1Co.7.2-5 e 1Ts.4.3-8). Corações estilizados: um símbolo do amor. O amor do tipo eros é aquele amor romântico que uma pessoa sente por outra, sinônimo de relação sexual. Os gregos viam em Eros a causa do embevecimento e da entrega decorrente da afeição OBSERVAÇÃO:* A soma Storge + Agape é a fórmula ideal ao amor paterno, materno, fraternal, filial e familiar. * A soma Eros + Ágape, é a receita perfeita para o santo sexo, o casamento do cristão.

TIPOS DE AMOR (3. parte)

c) STORGE – Amor familiar que emana da família:
•É o amor familiar, amor natural de pai para os filhos, do tio para o sobrinho, e vice-versa. Envolve reciprocidade e homogeneidade. Exemplos: * Materno:Protegem e decidem a vida dos filhos, mas o
amor de Deus é maior (Is.49:15). * Familiar Entre parentes carnais, mas o de Deus é maior (Pv.18:24;Jo.15;14; Mc.10:29-30). Esse estilo de amor valoriza a confiança mútua, o entrosamento e os projetos compartilhados. O romance começa de maneira tão gradual que os parceiros nem sabem dizer quando exatamente. A atração física não é o principal. Os namorados-amigos não tendem a ter relacionamentos calorosos, mas sim tranqüilos e afetuosos. Preferem cativar a seduzir. E, em geral, mantêm ligações bastante duradouras e estáveis. O que conta é a confiança mútua e os valores compartilhados. Os amantes do tipo storge revelam satisfação com a vida afetiva. É a ternura e harmonia; uma maneira de harmonizar o seu ser com o ser do outro.

TIPOS DE AMOR (2. parte)

b) FILEO – Amor fraterno que emana da amizade entre as pessoas:

•É o amor humano onde se retribui o que se recebe, não como o mundo, que impõe condições e favores, baseado em vantagens pessoais. É o amor social, amor de amigo, de afinidade, patriótico, cívico. É a necessidade de compartilhar algo com alguém. Envolve afeição, e é o que chamamos amizade". É desta palavra que se originaram os termos filosofia (amizade à sabedoria)
•A amizade implica numa ação porque a pessoa desempenha um papel ativo. Ela resulta de uma escolha que a pessoa faz. Você escolhe os amigos. A amizade é uma prática, um hábito. Não é correto dizer "eu sinto amizade", o certo é "eu pratico a amizade".
•Já o amor é uma afeição (afeição significa "sofrer uma ação"). Amar, portanto, é sofrer uma ação, pois a pessoa não tem como escolher a quem ama porque a afeição é algo que "vem de fora".
•Amar não é uma ação prática, pois implica numa passividade do sujeito.
•Entre amigos, a noção do justo não tem mais lugar; não por irrupção da injustiça, é claro, mas pela superação do cálculo sobre o qual se fundam os contratos. A amizade está além do acordo contratado.

TIPOS DE AMOR (1. parte)

a)ÁGAPE - Amor abnegado, Divino, que emana de Deus:

•Deus nos ama de forma incondicional (Jo.3:16) e Jesus venceu o diabo no Amor ao mundo (Jo.13:1; 1 Co.13:1-7). É o amor como o de Deus, o amor que se dá, o amor-sacrifício, o amor-entrega, o amor eterno, imutável e perfeito. (João 3.16; Rm. 5.5; 1 Co.13; 1Jo.4.16,18. Ef 5.25-33). Em grego, significa altruísmo, generosidade. A dedicação ao outro vem sempre antes do próprio interesse. Quem pratica esse estilo de amor entrega-se totalmente à relação e não se importa em abrir mão de certas vontades para a satisfação do ser amado. Investe constantemente no relacionamento, mesmo sem ser correspondido. Sente-se bem quando o outro demonstra alegria. No limite, é capaz até mesmo de renunciar ao parceiro se acreditar que ele pode ser mais feliz com outra pessoa. É visto por muitos, como uma forma incondicional de amar.
•É o amor benevolente que se contrapõe ao amor concupiscente (ou apego). No amor benevolente deseja-se fazer o bem ao outro. No amor concupiscente deseja-se possuir o bem que já existe no outro.
•Exemplo de amor benevolente é o da parábola do bom samaritano. Exemplo de amor concupiscente é o do homem pelo dinheiro. Nas escrituras sagradas agape é traduzido como graça ou gratuidade.
•Ambas têm a mesma etimologia. É esta gratuidade em que se ama por nada, por causa de nada.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Cuidado com quem mantém a comunhão!


O Lápis

"Mas agora, ó SENHOR, tu és nosso Pai; nós o barro e tu o nosso oleiro; e
todos nós a obra das tuas mãos." Isaías 64:8

O fabricante de lápis falou com cada um de seus lápis:

“Há cinco coisas que você precisa saber antes de eu lhe enviar para o
mundo. Sempre se lembre delas e se tornará o melhor lápis que pode ser:

Você fará grandes coisas, mas só se estiver seguro na mão de alguém.

Você experimentará um doloroso processo de ser afiado de vez em quando, mas
é necessário se quiser se tornar-se um lápis melhor.

Você pode corrigir qualquer mal-entendido que ocasionar.

A sua parte mais importante sempre estará do lado de dentro.

Não importa a condição, continue a escrever; sempre deixe uma marca clara e
legível, mesmo nos dias difíceis

Todos prometeram lembrar-se sempre disso e entraram na caixa. Compreenderam
plenamente o propósito do fabricante.

Lembre-se:
Cada um de nós é como um lápis. Deus é o nosso criador e precisamos estar
sempre seguros em suas mãos para cumprirmos o propósito da vida. Somente
assim poderemos fazer grandes coisas para Ele.

Às vezes DEUS nos corta, nos limita, nos prova, nos deixa passar por
momentos duros. Assim, ELE nos afia para melhor escrevermos as coisas que
Ele quer.

Deus pode mudar qualquer coisa em nós. Pertencemos a Ele, e mesmo que
erremos, Ele nos perdoa e nos ensina a recomeçar. Se quebrarmos, Ele nos
faz de novo para sua honra e glória.

Seu coração, sua mente, seus desejos são mais importantes do que o
exterior. Viva por ser e não apenas por ter ou aparecer.

Não importa o tamanho dos desafios, da angústia que vier continue
escrevendo. Não importa o valor do lápis, o importante é que ele escreva e
o que esta sendo escrito através dele. Confie em DEUS de todo teu coração e
não se apóie na sua própria inteligência.

“Lembre de DEUS em tudo o que fizer, e ele lhe mostrará caminho certo.”


Desconheço o Autor

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Uma imagem vale mais que 1000 palavras!


Sábios Conselhos

Segue abaixo alguns trechos da palestra de Brian Dyson, ex-presidente da Coca Cola, que aconteceu em conferência de uma universidade americana, onde ele falou sobre a relação entre o trabalho e outros compromissos da vida.
Imaginem a vida como um jogo, no qual vocês fazem malabarismo com cinco bolas que lançam ao ar. Essas bolas são: o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito. (Não necessariamente nesta ordem) O trabalho é uma bola de borracha. Se cair, bate no chão e pula para cima. Mas as quatro outras são de vidro. Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas. Entendam isso e busquem o equilíbrio na vida.
Como?
Não diminuam seu próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial.
Não fixem seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só vocês estão em condições de escolher o que é melhor para vocês próprios.
Dêem valor e respeitem as coisas mais queridas aos seus corações. Apeguem-se a elas como a própria vida. Sem elas a vida carece de sentido.
Não deixem que a vida escorra entre os dedos por viverem no passado ou no futuro. Se viverem um dia de cada vez, viverão todos os dias de suas vidas.
Não desistam quando ainda são capazes de um esforço a mais. Nada termina até o momento em que se deixa de tentar.
Não temam admitir que não são perfeitos. Não temam enfrentar riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser valentes.
Não excluam o amor de suas vidas dizendo que não se pode encontrá-lo. A melhor forma de receber amor é dá-lo. A forma mais rápida de ficar sem amor é apegar-se demasiado a si próprio. A melhor forma de manter o amor é dar-lhe asas.
Não corram tanto pela vida a ponto de esquecerem onde estiveram e para onde vão.
Não tenham medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente.
Não usem imprudentemente o tempo ou as palavras. Não se podem recuperar.
A vida não é uma corrida, mas sim uma viagem que deve ser desfrutada a cada passo. Lembrem-se: Ontem é história. Amanhã é mistério e Hoje é uma dádiva. Por isso se chama presente.
"Apeguem-se as coisas que são queridas aos seus corações (entre elas os amigos). Sem eles a vida carece de sentido."

Pregos, facas e palavras...

Era uma vez um menininho que tinha um mau temperamento. O pai deu-lhe um saco de prego e disse a ele que para cada vez que o menino perdesse a calma, ele deveria pregar um prego na cerca.
No primeiro dia, o menino pregou 17. Nas semanas seguintes, como ele aprendeu a controlar seu temperamento, o número de pregos pregados na cerca diminuiu gradativamente...
Ele descobriu que era mais fácil se segurar do que pregar aqueles pregos na cerca.
Finalmente chegou o dia que o menino não perdeu a calma em nenhum momento.
Ele então falou a seu pai sobre isto e o pai sugeriu que o menino agora tirasse da cerca, um prego por cada dia que ele não perdesse a calma.
Os dias passaram e o menininho, então, estava finalmente pronto para dizer a seu pai que tinha retirado todos os pregos da cerca.
O pai então o pegou pela mão e foram até a cerca.
O pai disse, "Você fez muito bem, meu filho, mas, veja só os buracos que restaram na cerca.
A cerca nunca mais será a mesma!
Quando você fala algumas coisas com raiva, elas deixam cicatrizes como estas aqui.
Você pode enfiar a faca em alguém e retirá-la. Não importa quantas vezes você peça desculpas, a ferida ainda esta lá.
Um ferimento verbal é a mesma coisa que um ferimento físico .
Anonimo

terça-feira, 14 de julho de 2009

Somos Mordomos do Rei

"O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidadesem glória, por Cristo Jesus." Filipenses 4:19

Conta-se que certa vez, um rei do Iêmen, chamado Hiamir, chamou um dos seus ministros e disse-lhe:
"Quero fazer longa viagem à Tiapur, uma região longínqua, pobre e triste,árida e sem conforto. Determino que vá antes de mim, e logo que lá chegar, mande que seja construído um magnífico palácio, com largas varandas de marfins e pátios floridos. Nesse palácio ficarei hospedado durante uma temporada, com tranquilidade e conforto."
O Vizir respondeu humildemente: "escuto e obedeço, ó rei."
Dias depois o Vizir partiu, em uma caravana com numerosos camelos carregados de ouro.
Ao chegar à cidade o Vizir ficou desolado com o estado de abandono em quese achava o povo. Encontrou pelas estradas crianças famintas e centenas deinfelizes, morrendo de inanição. Os quadros de miséria e sofrimento que se desenrolavam, a cada passo e a todo instante, torturavam o coração do poderoso ministro.
Ele trouxera mais de trinta mil dinares, que deveriam ser gastos na construção de um grandioso palácio!
Que fez o Vizir?
Levado por um impulso irresistível, em vez de executar a ordem do rei, resolveu gastar o dinheiro que trazia, beneficiando a infeliz população.
Mandou construir abrigos para os desamparados. Distribuiu mantimentos entreos mais necessitados. Determinou que todos os enfermos fossem, sem demora, medicados e forneceu pão aos que padeciam fome.
Ao fim de alguns meses, notava-se uma transformação completa da cidade. Oshomens haviam voltado ao trabalho e por toda a parte reinava a alegria. Ascrianças brincavam nos pátios e as mulheres cantavam nas portas das tendas.
E do palácio maravilhoso, encomendado pelo rei, nada existia...
Quando o rei Hiamir chegou a Tiapur foi recebido por uma grande manifestação de júbilo da população.
"Sinto-me feliz" - confessou o monarca - "por saber que sou sinceramente estimado pelos meus súditos. Mas onde está o palácio de Tiapur?" Perguntou.
"Antes de falar do palácio, ó rei, tenho um pedido a lhe fazer." Disse-lheo Vizir. "Segundo as leis, aquele que o desobedecer, praticando um abuso deconfiança, deve ser condenado à morte. Pois, houve, ó rei, um homem de sua confiança que praticou tal delito. Espera-se que seja determinada a execução do culpado sem demora." Disse o Vizir serenamente:
"Quem é o acusado?" Questionou o rei.
"O criminoso sou eu." Disse o Vizir sem hesitar. E sem ocultar a menor parcela da verdade, o Vizir descreveu a miséria em que se encontrava o povo.
Por fim, confessou que, penalizado diante de tanto sofrimento, em vez de construir o palácio real, resolveu gastar os recursos que lhe foram confiados para mudar a triste sorte da população.
"Não cumpri a ordem recebida, por isso aguardo o castigo de que me fiz merecedor." Concluiu.
"Levante-se, meu amigo." Ordenou emocionado o rei. "Vejo que seu trabalho éresponsável pela edificação do mais belo dos palácios que já conheci. Vejo as torres cintilantes nas fisionomias alegres das crianças; admiro as largas varandas de marfim no sorriso radiante dos meus súditos; reconheçoos pátios floridos no olhar de gratidão das mães felizes. Como é majestoso e belo, ó Vizir, o palácio que a sua bondade fez se erguer nas terras de Tiapur."
Cada um é responsável pela destinação que der à riqueza que lhe for confiada, seja ela representada por recursos materiais ou por aptidões profissionais.
Cada qual, pelo uso de seus próprios talentos, é capaz de alterar o mundo, distribuindo alegrias ou acumulando dores.
Colaboração de Renato Santos

sexta-feira, 29 de maio de 2009

HÁ VAGAS!

"E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como
evangelistas, e outros como pastores e mestres," Efésios 4:11

PRECISA-SE
Uma grande obra necessita urgente de trabalhadores de ambos os sexos?

Carpinteiros:
Para serrar madeira da incompreensão e arrancar os pregos do ódio, do
orgulho, e do egoísmo.

Pedreiros:
Para assentar os tijolos da prece na construção da caridade.
Encanadores:
Para canalizar a água viva da verdade na direção daqueles que tem sede de
conhecimento.

Eletricistas:
Para ligar a corrente positiva da fé, estendendo a luz a todos que se acham
nas trevas da ignorância.

Lixeiros:
Para remover os resíduos da preocupação e da ansiedade que ainda entulham a
obra.

Aprendizes:
Vagas sempre abertas para pessoas de boa vontade, e de qualquer idade.

Mestres: Não há vagas! Temos o CRIADOR.

Local da obra: Humanidade.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

SERIA DIFERENTE HOJE?

Carta ao apóstolo Paulo,

Charles Phinney

Comitê de Missões



Paulo, o apóstolo

a/c de Áqüila, o fabricante de tendas

Corinto, Grécia



Caro Paulo,

Recentemente recebemos uma cópia de sua carta aos gálatas. O comitê me orientou a informá-lo de várias coisas que nos preocupam profundamente:

Inicialmente, consideramos sua linguagem um tanto desequilibrada. Na carta, após a breve saudação aos gálatas, você imediatamente ataca seus oponentes afirmando que eles “querem perverter o evangelho de Cristo”. Então diz que esses homens deveriam ser considerados “malditos”; e, em outro lugar, você faz referência a “falsos irmãos”. Não seria mais caridoso lhes dar o benefício da dúvida - pelo menos até a Assembléia Geral ter investigado e julgado o assunto? Para piorar a situação, você ainda diz: “Quanto a esses que os perturbam, quem dera que se castrassem!” (5:12, NVI). Essa declaração é apropriada para um ministro cristão? A observação parece muito áspera e desamorosa.

Paulo, temos realmente sentido a necessidade de preveni-lo sobre o tom de suas epístolas. Você confronta as pessoas de maneira áspera. Em algumas cartas você chegou até a mencionar nomes; essa prática tem, sem dúvida, angustiado os amigos de Himeneu, Alexandre e de outros. Afinal, muitas pessoas foram apresentadas à fé cristã pelo ministério desses homens. Embora alguns dos nossos missionários tenham manifestado lamentáveis deficiências, quando você fala desses homens de forma depreciativa só pode provocar sentimentos ruins.

Em outras palavras, Paulo, creio que você deveria se esforçar para ter uma postura mais moderada em seu ministério. Você não deveria tentar ganhar os que estão no erro demonstrando um espírito brando? Neste momento é provável que você tenha alienado os judaizantes a ponto deles não mais o ouvirem.

Por causa de sua sinceridade exagerada no falar, você também diminuiu suas oportunidades de influenciar futuramente a igreja como um todo. Se tivesse atuado de forma menos franca, sua presença poderia ser solicitada para integrar um comitê do presbitério para estudar a questão. Você poderia, então, ter contribuído com suas percepções, ajudando a delinear uma boa recomendação do comitê a respeito da posição teológica dos judaizantes, sem ter que resistir a personalidades em disputa .

Além disso, Paulo, precisamos manter a união entre os que professam a fé em Cristo. Os judaizantes, pelo menos, permanecem conosco na confrontação do paganismo e do humanismo à nossa volta e prevalecente na cultura do Império Romano atual. Os judaizantes são nossos aliados na luta contra o aborto, a homossexualidade, a tirania no governo etc. Não podemos permitir que diferenças sobre minúcias doutrinárias obscureçam esse fator importante.

Também devo mencionar que o conteúdo de suas cartas tem sido questionado, bem como seu estilo. O comitê questiona a propriedade da estrutura doutrinária de sua carta. É sábio importunar jovens cristãos, como os gálatas, com questões teológicas tão pesadas? Por exemplo, em vários lugares, você alude à doutrina da eleição. Você também entra numa longa discussão a respeito da lei. Talvez você poderia ter provado seu caso de outra forma, sem mencionar esses pontos complexos e controversos do cristianismo. Sua carta é excessivamente doutrinária, e provavelmente servirá apenas para polarizar as diferentes facções nas igrejas. Novamente, precisamos enfatizar a unidade, em vez de assuntos controvertidos, que acentuarão as divisões entre nós .

Em outro lugar, você escreveu: “Ouçam bem o que eu , Paulo, lhes digo: Caso se deixem circuncidar, Cristo de nada lhes servirá” (5:2, NVI). Paulo, você tem a tendência de descrever as coisas estritamente em termos de preto-e-branco, como se não houvesse áreas acinzentadas. Você precisa usar expressões mais equilibradas, para não se tornar exclusivista. De outra forma, seu ponto de vista afastará muitas pessoas, e fará com que os visitantes não se sintam bem-vindos. O crescimento da igreja não é promovido tomando-se essa linha dura e permanecendo inflexível.

Lembre-se, Paulo, não existe uma igreja perfeita. Precisamos tolerar muitas imperfeições na igreja, porque não podemos esperar ter todas as coisas ao mesmo tempo. Se você simplesmente pensar sobre sua experiência, você se lembrará de quanto fez mal à igreja no tempo da ignorância. Ao refletir sobre seu passado, você pode tomar uma atitude mais simpática para com os judaizantes. Seja paciente, e lhes dê algum tempo para chegar a um entendimento melhor. Enquanto isso, regozije-se pelo fato de todos compartilharmos a profissão de fé em Cristo, pois todos fomos batizados no nome dele.



Sinceramente,

Charles Phinney

Coordenador do Comitê de Missões

terça-feira, 21 de abril de 2009

Conceitos e Métodos de Interpretação do Apocalipse




1 – O PONTO DE VISTA PRETERISTA

Esse ponto de vista dá a entender que todas as ocorrências aludidas no livro de Apocalipse tiveram lugar no império romano, no primeiro século de nossa era, embora talvez haja acontecimentos referentes ao segundo século. Os eruditos liberais normalmente tomam esse ponto de vista em geral, porquanto supõem que o livro não pode ser uma profecia genuína, mas tão somente um escrito simbólico e uma avaliação mística dos acontecimentos daquela porção do mundo para onde o livro foi originalmente enviado.

2 – O PONTO DE VISTA HISTÓRICO

Os intérpretes que assumem essa posição procuram encaixar todos os acontecimentos previstos no Apocalipse em várias épocas da história humana.
A série de “sete” (selos, trombetas, taças e anjos) supostamente representaria sucessivos estágios da história da humanidade, até à volta de Cristo, o que dará fim ao presente ciclo geral. Naturalmente, os que assim pensam não tem podido concordar entre si sobre quais visões representam estes ou aqueles acontecimentos históricos, e muitas identificações fantásticas, de homens e eventos, no tocante às predições, tem aparecido na literatura que defende esse ponto de vista. O ponto de vista puramente histórico do livro de Apocalipse deixa-o uma obra essencialmente fechada e misteriosa.

3 – O PONTO DE VISTA FUTURISTA

Há os futuristas extremos, que pensam que o livro inteiro é preditivo, incluindo os capítulos dois e três, que representariam sucessivos estágios da história eclesiástica, até à vinda de Cristo. Mas há os futuristas moderados, que admitem que os capítulos 2 e 3 referem-se ao passado (ou ao presente), mas que ao começar no quarto capítulo temos o futuro, o que deverá ocorrer imediatamente antes do segundo advento de Cristo. Isso faz este livro ser, essencialmente, uma profecia, levando em conta, a sério, as declarações de Ap 1:19 e 4:1.
A principal objeção contra esse ponto de vista é que remove do livro qualquer contexto histórico. Mas isso é respondido pela observação que apesar de refletir o tempo e os acontecimentos contemporâneos, em um sentido secundário, a verdade é que, em sentido “primário”, o livro reflete os últimos dias.
Portanto, este livro tanto é orientado historicamente como é escatologicamente importante; mas a ênfase recai sobre este último fator.
Obs.: Os acontecimentos de maior vulto lançam suas sombras antes mesmo de entrarem em cena. E as sombras do livro do Apocalipse já estão entre nós...

4 – A INTERPRETAÇÃO SIMBÓLICA OU MÍSTICA

Alguns eruditos crêem que o livro de apocalipse não é essencialmente profético e nem histórico, mas é uma vívida coletânea de símbolos místicos, que visam ensinar lições espirituais e morais. Isso significa que não esperemos qualquer cronologia de acontecimentos passados ou futuros neste livro.
Tais acontecimentos seriam puramente espirituais, podendo “acontecer” em qualquer período histórico. Naturalmente, muito há no livro de Apocalipse que pode ser visto como “misticamente instrutivo”; mas isso não pode explicar sua mensagem geral. Ele assevera ser uma profecia, e certamente assim sucede.

5 – PONTO DE VISTA ECLÉTICO

Alguns intérpretes “misturam” todas as idéias expostas acima, de modo que nenhuma domine as demais.
Não há dúvida que devemos preservar “alguns elementos” de cada um desses pontos de vista sobre o livro de Apocalipse, em um grau ou outro.
Os eventos que já sucederam, e que eram contemporâneos aos dias do autor sagrado, estão em vista, embora talvez não estejam primariamente em foco (dentro do intuito do Espírito Santo, à parte do intuito do próprio autor sagrado).
Porções do Apocalipse podem subentender ou descrever partes da sucessão de eventos da história humana (como é o caso das cartas às igrejas, nos capítulos 2 e 3), e muitos outros acontecimentos históricos refletem, pelo menos em parte, as descrições feitas.
O livro ensina-nos lições morais e místicas, aplicáveis a qualquer época.
Contudo, certamente erraremos se não contemplarmos o livro como obra “essencialmente” profética, e da primeira ordem.
Dentre todas as gerações, a nossa e mais uma ou duas, são que precisam mais desesperadamente da mensagem deste livro.
A igreja cristã deve compreender que nos aproximamos do mais aterrorizante tempo de purificação. A igreja presente é incapaz de “voar” ou “subir”.
Os eventos preditos neste livro prepararão a igreja para ir ao encontro de Cristo.

Entendendo o estado dos mortos...


quarta-feira, 1 de abril de 2009

ARREBATAMENTO!

video

AS BEM AVENTURANÇAS SE CUMPRIRÃO NO MILÊNIO!



Em Mateus 5:3, o Senhor Jesus Cristo falou das bem aventuranças, das pessoas que mesmo passando por grandes problemas podem se considerar felizes, pois existe algo de muito bom reservado para aqueles que são bem aventurados, e olhando atentamente a estes textos bíblicos, iremos descobrir que não forma destas promessas se cumprirem em nossos dias; Vamos analisar cada caso atentamente:

Os pobres de espírito herdarão o reino dos céus
A expressão “ Reino dos céus ” já mostra claramente que os pobres de espírito irão reinar com Cristo, não existe outro reinado que também seja “ dos céus ”, Cristo no céu não é rei, ele é o filho de Deus, o cordeiro que tira o pecado do mundo, e que venceu e saiu vitorioso até da morte, somente aqui na terra Cristo é Rei, e esta herança não será dado na presente dispensação, nenhum rei deste mundo tem feito tal coisa, mas Cristo fará no seu reinado no milênio. A palavra Reino dos Céus significa: Os Céus reinarão na terra.

Os que choram, serão consolados
Os que choram no tempo presente, continuam a chorar, pois os governantes deste mundo nada têm feito para enxugar as lágrimas dos menos favorecidos, dos mendigos, os políticos só conhecem a angustias dos pobres nos tempos de política, e depois se esquecem de todas as promessas que fizeram para serem eleitos, mas o Senhor Jesus, que mesmo sendo Deus, ia de encontro aos pobres, e curava as suas feridas, limpava os leprosos, e isto será a sua marca no milênio, todos os menos favorecidos irão sorrir alegremente pela bela condição de vida que Cristo lhes proporcionará. Esta promessa esta longe de se cumprir no tempo presente .

Os mansos herdarão a terra. Mateus 5:5, Isaías 60:21 e 65:9, Salmos 37:9-11-22-29
Uma coisa que choca a humanidade é a desproporção de renda que existe em nosso mundo, pessoas possuem grandes mansões, milhares de alqueires de terras espalhas por todo o país, enquanto outros dormem debaixo de pontes e viadutos por não conseguir ao menos pagar o aluguel de uma casa, e muito menos conseguem herdar a terra, esta profecia esta longe de se cumprir na presente dispensação, ela se cumprirá literalmente no milênio, pois lá o Rei será Jesus Cristo.

Os que tem fome e sede de justiça serão fartos Ap. 19:11, Isaías 11:4 e 65:17-29
Em nossos dias o mundo clama por justiça, todos os dias ouvimos dizer de pessoas de alta classe social cometerem crimes, sonegação fiscal, e saem impunes de suas culpas, corrompendo juizes e governos que estão longe de defender os menos favorecidos, esta é uma outra promessa de Cristo que esta cada vez mais distante de se cumprir em nossos dias, pelo contrario a injustiça esta cada vez mais presente, mas posso afirmar com segurança que esta promessa irá se cumprir de forma literal no reinado de Cristo durante o milênio, onde o Rei fará justiça a todos, e se hoje eles tem fome de justiça, no milênio, debaixo do reinado de Cristo eles com certeza serão fartos. Jeremias 23:5 a 8

Os misericordiosos alcançarão misericórdia
Aqueles que costumam Ter piedade, misericórdia, sempre estão dispostos a perdoar e esquecer a maldade que lhes fizeram, estas pessoas alcançarão a misericórdia de Deus e irão reinar com Cristo no milênio. Esta promessa não é para a igreja, pois a igreja aceitou ser lavada no sangue de Cristo e assim seus pecados foram perdoados, mas sim para aqueles que estiverem na tribulação, como todos sabemos nem todos os que tem misericórdia aceitam a Cristo Jesus e se tornam o corpo de Cristo, a Igreja do Senhor, nem todos os que são misericordiosos são judeus, pelo contrario, existem muitos gentios que são bons de coração e perdoam com facilidade os erros que lhes são cometidos, o seus grandes erros é não terem aceitado a Cristo, mas porque são misericordiosos alcançarão misericórdia, e a vida lhes serão poupadas na vinda de Cristo


Os puros de coração verão a Deus
As pessoas que tem em humildade, pureza no coração, não têm malícia, procuram sempre ver as coisas da melhor forma possível, esta pessoas só por sua beleza interior, verão a Jesus Cristo, passarão da tribulação para o milênio.

Os pacificadores serão chamados filhos de Deus
Os que procuram a paz, no milênio serão chamados de filhos de Deus, pois também Deus não quer guerra.

Os que sofrem perseguição por causa da justiça, Deles é o reino dos céus
Os que hoje estão sendo perseguidos por serem justos, aqueles que dentro de um sistema corrupto não conseguem serem bem visto só porque fazem as coisas porque amam a justiça, e de repente perdem o emprego, são caluniados com mentiras, testemunhas compradas, sofrem a perseguição a perda dos salários, a garantias de uma vida melhor, a paz lhes é tirada, só porque não se vendem a sistemas corruptos, de acordo com a promessa de Cristo, o Reino dos Céus pertence a estas pessoas, e este reino não é outro se não o reinado de Cristo no milênio.


Como vimos as promessas de São Mateus 5 estão longe de se cumprir nos nossos dias, e também não se cumpriram no passado, mas com certeza se cumprirão no milênio, onde Cristo será o Rei, e irá proporcionar toda sorte de bênçãos.
Colaboração: Evangelista Edson Prado

quarta-feira, 18 de março de 2009

Nesse "deus" eu sou ateu...


Recebi o seguinte e-mail do meu amigo, pastor Marcos Kopeska: “No censo divulgado pelo IBGE me chamou a atenção o aumento do contingente de pessoas que se declaram sem religião. Até os anos 70, este percentual estava abaixo de 1%. Nos anos 90 subiu para 5,1%. Atualmente, chega a 7,3%. A cifra global, inferior a 10%, pode não ser tão expressiva, mas o ritmo de crescimento impressiona. Penso que o crer ou não na existência de Deus já é uma disputa ultrapassada e fora de moda. Albert Einsten declarou: ‘Quanto mais acredito na ciência, mais acredito em Deus. O universo é inexplicável sem Deus’. Abraham Lincoln, uma das dez maiores personalidades de todos os tempos, concluiu: ‘Eu entendo que um homem possa olhar para baixo, para a Terra, e ser um ateu, mas, não posso conceber que ele olhe para os céus e diga que Deus não existe’. O que me preocupa são os conceitos deformados que estão se formando a respeito de Deus. Confesso que já encontrei muitos ‘deuses’ diferentes nesta ‘teologia tupiniquim’ que pairou sobre nossa pátria a partir dos anos 80 e pegou em cheio o cristianismo. O Deus soberano, criador e sustentador do universo foi trocado pelo ‘deus do mercado da fé’, disposto a leiloar sua imagem em cada reunião. Trocamos o Deus Altíssimo, onisciente e onipresente, que independe de nós, pelo ‘Deus Papai Noel’ (aquele que, para conquistar admiradores e adoradores, sai distribuindo presentes a granel). Trocamos o Deus que nos guia mesmo nos vales escuros da vida pelo ‘deus paternalista e superprotecionista’, que, em nome de um triunfalismo barato e sem propósitos, não nos deixa passar pelas provações. Trocamos o Deus que nos ensina a viver em paciência e longanimidade pelo ‘Deus micro-ondas’, imediatista, que é obrigado a fazer o que eu quero aqui e agora. Concluo que crer ou não crer não é mais a questão. “A questão é; em que Deus nós temos crido”. Quando ouço os pregadores que fazem da fé um show, que fazem seu reino universal, e mesmo outros em igrejas chamadas históricas, preciso dizer que, se Deus é o que estas pessoas dizem que é e ensinam, eu não acredito nele. Sou ateu do deus deles. O deus dos pregadores televisivos e anunciadores do sucesso é um deus mecânico, muito ao estilo das “vending machines”: basta colocar a moeda e pegar a benção. É um deus subserviente, mecânico, previsível, movido pela gasolina das ofertas, impiedoso, que não conhece a graça. De minha parte, prefiro o Deus do evangelho de João, que vai em busca dos necessitados, que dá a quem não pediu, que abençoa quem não merece, que ama os seus até o fim. •

Marcos Inhauser é pastor, presidente da Igreja da Irmandade e colunista do jornal Correio Popular. http://www.inhauser.com.br/ / marcos@inhauser.com.br
Colaboração do amigo: Pr. Anibal Kiefer

terça-feira, 10 de março de 2009

O Homem e o Elefante!


"Posso todas as coisas naquele que me fortalece." Filipenses 4:13

Você já observou elefante no circo? Durante o espetáculo, o enorme animal faz demonstrações de força descomunais.

Mas, antes de entrar em cena, permanece preso, quieto, contido somente por uma corrente que aprisiona uma de suas patas a uma pequena estaca cravada no solo. A estaca é só um pequeno pedaço de madeira.

E, ainda que a corrente fosse grossa, parece óbvio que ele, capaz de derrubar uma árvore com sua própria força, poderia, com facilidade, arrancá-la do solo e fugir.

Que mistério! Por que o elefante não foge?

Perguntei a um adestrador e ele me explicou que o elefante não escapa porque está amestrado.

Fiz então a pergunta óbvia:

-Se está amestrado, por que o prendem?

Não houve resposta!

Há alguns anos descobri que, por sorte minha alguém havia sido bastante sábio para encontrar a resposta:

O elefante do circo não escapa porque foi preso à estaca ainda muito pequeno. Fechei os olhos e imaginei O pequeno recém-nascido preso. Naquele momento, o elefantinho puxou, forçou, tentando se soltar. E, apesar de todo o esforço, não pôde sair. A estaca era muito pesada para ele.
E o elefantinho tentava, tentava e nada. Até que um dia, cansado, aceitou o seu destino. Ficar amarrado na estaca, balançando o corpo de lá para cá, eternamente, esperando a hora de entrar no espetáculo. Então, aquele elefante enorme não se solta porque acredita que não pode. Jamais, jamais voltou a colocar à prova sua força.

Isso muitas vezes acontece conosco! Vivemos acreditando em um montão de coisas 'que não podemos ter', 'que não podemos ser', 'que não vamos conseguir',

Simplesmente porque, quando éramos crianças e inexperientes, algo não deu certo ou ouvimos tantos 'nãos' que 'a corrente da estaca' ficou gravada na nossa memória com tanta força que perdemos a criatividade e aceitamos o 'sempre foi assim'.

De vez em quando sentimos as correntes e confirmamos o estigma:

'não posso',
'é muita terra para o meu caminhãozinho',
'nunca poderei',
'é muito grande para mim!'

A única maneira de tentar de novo é não ter medo de enfrentar as barreiras, colocar muita coragem no coração e não ter receio de arrebentar as correntes!

Vá em frente!

Desconhecemos o Autor


Colaboração do amigo: Renato Santos - AD Joinville

terça-feira, 3 de março de 2009

O RESTO... ISTO TE DOU, SENHOR!


Tenho visto e ouvido muitas vezes pessoas dizendo: quando alcançar isto ou aquilo, estabilizar a vida e encaminhar os filhos, daí vou trabalhar para o meu SENHOR...
Ledo engano! Em todo o antigo testamento, no sistema cerimonial de sacrifícios, e até mesmo antes da instituição da lei, encontramos diversas reprimendas divinas acerca dos que oferecem o resto, ou seja a sobra do que não se utilizou pra mais nada!
Diversas vezes o SENHOR entrou em conteda com Israel porque as ofertas eram da sobra (ou do resto). É interessante que até na matemática, após efetuarmos as contas, há uma frase dita pelo professor: despreze o resto.
Quando aplicamos isto no contexto neotestamentário, encontramos o apóstolo Paulo não mais falando de dízimos, por exemplo, onde o ofertante punha à parte a décima parte de sua renda para oferecer no altar do SENHOR, e estava mandando a seguinte mensagem para o mundo espiritual: Deus foi honrado com a décima parte do meu tudo e agora necessito que os 90% que me restaram sejam abençoados para viver prosperamente; não - Paulo agora não trata mais de dízimos, mas uma partilha justa, onde o amor pelo sacrifício de Cristo vem nos constranger para ir muito além dos 10%.
A temática aqui não é o dízimo em si, mas a vida! A vida não pode ser vivida de maneira displicente e irresponsável, como se fôssemos durar pra sempre (neste mundo).
Infelizmente não são poucos os cristãos que gastam todas as suas energias construindo castelos de segurança efêmera, vestindo-se com vaidades que não cobrem as vergonhas diante dos olhos daquele que tudo vê e ajuntando para si tesouros que o ladrão e a ferrugem destroem; para que? Para no fim de toda essa tormenta (que aliás chamam de vida - meu nariz cuido eu!) dar o resto ao SENHOR.
Maldito! Sim, maldito diz o SENHOR! Maldito o que oferece o resto! Vai apresentar isso ao teu príncipe, para ver se ele te aceitará.
Quando recebo visita em minha casa, oferto o melhor que posso. E quando recebo, de modo permanente, o Rei dos reis para morar comigo... oferto o resto?
Esse cristianismo hipócrita, de fachada, morno e sem vida que somos tentados a viver tem de ser combatido com galhardia... ou ninguém verá o SENHOR!

domingo, 22 de fevereiro de 2009

ESCOLHIDO DE DEUS

Os 10:12


As 7 fases da vida de Jacó nos ensinam o caminho que Deus nos preparou:


1 - Desprender-se da proteção da mãe -
= Andar por fé, sem culpar ninguém - sem estar protegido do “SOL DA JUSTIÇA”.

2 - Ir para o deserto -
= Preparação para o homem de Deus - inclusive fugindo em certos momentos.

3 - Aprender a pagar o preço pelos objetivos -
= “A fim de que sejamos... fortes-corajosos-constantes”

4 - Colocar-se no seu lugar... -
= Buscar a Deus para saber a sua vocação.

5- Encontrar-se a sós com Deus -
= Buscar a tão almeja mudança - o retoque final

6 - Enfrentar velhos problemas -
= Tornando-se vencedor pela fé em Cristo.

7 - Subir a encontrar-se com Deus -
= a) a coroa me espera
= b) Tu, porém, vai até o fim
= c) Guarda o que tens


=A maturidade fez o homem da “palavra enganosa” ser o profeta de Deus p/ sua família.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

ELE VEIO PARA LIBERTAR OS CATIVOS!


Lc 4:16-20

1- CATIVEIRO DA OPRESSÃO DEMONÍACA: Mc 5

A Sociedade:
- usava-o como desculpa para justificar-se.
- usava-o como diversão da semana.
- usava-o como distração - tanto que mandaram Jesus embora.

O Gadareno:
- desejava ser livre - mas era escravo.
- desejava descansar - feria-se para matar-se.
- desejava encontrar-se com Jesus - Mc 5:6 “Adorou-O”.
- encontrou a grande razão de sua existência - vv 18 “deixa ficar contigo”
- recebeu a grande comissão - “VAI AOS TEUS E ANUNCIA”

2 - CATIVEIRO DAS ENFERMIDADES: Jo 5: 1-9

O paralítico do tanque de Betesda: 38 anos .

- ele estava alheio às notícias. próximo a Porta das Ovelhas

- ele estava com um sério problema.

- ele era conhecido, porém desprezado. Tanque de Betesda = Casa de Misericórdia
- ele tinha uma derradeira, pequena, porém real, esperança.

- ele não conhecia Jesus, porém Jesus conhecia ele.


3 - CATIVEIRO DOS PECADOS : Jo 8: 3

A mulher adúltera:

Escribas e fariseus a trouxeram = LEI QUE NOS CONDENA.
Todos no mesmo nível = PRECISAMOS DE UM SALVADOR.
A ordem p/ quem fica aos pés do SENHOR = VAI E NÃO PEQUES MAIS!`

JESUS É NO EVANGELHO DE JOÃO:

6:35 - PÃO DA VIDA 8:12 - LUZ DO MUNDO
10:7 - A PORTA 10:11 - BOM PASTOR
11:25 - RESSURREIÇÃO E VIDA 14:6 - CAMINHO, VERDADE E VIDA
15:1 - VIDEIRA VERDADEIRA 15:15 - AMIGO SINCERO

domingo, 15 de fevereiro de 2009

O QUE É PRÓ-ATIVIDADE?

O pró-ativo é aquele que apresenta-se como solucionador de problemas, não vê obstáculos, sempre oferece algo a mais. Como se chama aquela qualidade que todo patrão gostaria de ver em seus colaboradores e em seus líderes? Pró-atividade. É uma das palavras do momento. Ela até já deixou de ser uma qualidade para elevar-se ao grau de virtude. Todos crêem que são pró-ativos, mas na realidade muitos confundem o conceito. Há os que pensam que ser pró-ativo é ter iniciativa; Outros que é a orientação pela ação rápida. Vamos colocar os "pingos nos is". Um dos significados do prefixo "pró" significa antecipação, algo que acontece antes. A pessoa pró-ativa está sempre se antecipando aos acontecimentos, fazendo até mesmo alguma espécie de previsão para poder atuar de uma determinada forma planejada. Logo, a pró-atividade não é sair queimando pneu e agir de qualquer maneira. É necessária uma análise do contexto, identificação e seleção de alternativas e imaginação dos resultados de cada cenário. Isto leva algum tempo. Claro que nunca se tem certeza do que poderá acontecer, mas, com um bom planejamento, maximizamos as chances de sucesso, pois este virá com certeza. Então ser pró-ativo significa tomar a iniciativa? Também, mas não apenas isso. A iniciativa por si só é uma reação, e não uma ação. Quando adicionamos a esta um questionamento positivo do processo, além do planejamento, então chegamos à pró-atividade. Um exemplo: Um instrutor, dando uma palestra, pergunta quem poderia tirar cópias xérox de um artigo. Alguém rapidamente se oferece como voluntário. Muito bem, demonstrou iniciativa; A pessoa pró-ativa se oferece como voluntária e também sugere algo do tipo: "Podemos escanear o artigo?" ou "Que tal pedir para alguém colocar o artigo no formato Word ou Power Point?" Trata-se de um questionamento visando a melhoria do processo ou do resultado. Pensando um pouco além, este questionamento positivo é a base para toda mudança que pode ocorrer em referência a algum assunto. Iniciativa pode levar à mudanças, mas de maneira inconsistente. Questionamento positivo e planejamento sem a iniciativa da execução não passam de sonhos num pedaço de papel. A pró-atividade é quase a própria mudança (quase porque, em alguns casos, a mudança, num contexto macro, normalmente ocorre sem planejamento, e muito rapidamente) uma vez que é a soma da iniciativa com o questionamento positivo e com o planejamento. Some-se a ela a criatividade, e vamos chegar à inovação. Criatividade sem pró-atividade não passa de um monte de idéias que podem ser ou não ser úteis. Pró-atividade sem criatividade resultará em mudança de pouco ou curto impacto. Mudanças que valem a pena começam com certa dose de criatividade. A estas mudanças dá-se o nome de inovação. Resumindo: PRÓ-ATIVIDADE = INICIATIVA + QUESTIONAMENTO POSITIVO + PLANEJAMENTO. INOVAÇÃO = PRÓ-ATIVIDADE + CRIATIVIDADE

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

UNIDADE x VERDADE

Na oração de Cristo por unidade, Ele disse especificamente:"Não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste [fora do mundo], porque são teus" (Jo 17.9). Não existe na Bíblia qualquer referência de que os cristãos devam "mudar o mundo" (que está debaixo do julgamento de Deus) ou "atender às necessidades da comunidade". Nós devemos chamar para sair deste mundo "um povo para o seu nome" (At 15.14). O interesse de Cristo foi por Sua Igreja: "a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós... como nós o somos; eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade..." (Jo 17.21-23).
A oração de Cristo foi respondida pelo fato do Filho e do Pai habitarem nos cristãos por meio do Espírito Santo. Tornando-nos "filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus" (Gl 3.26), somos unidos à família de Deus para sempre. Essa unidade não pode ser compartilhada fora dessa família. Ela é expressa pela adesão em palavras e atos à Palavra de Deus e à verdade (Jo 17.6, 8, 14, 17).
Nunca nos foi ordenado estabelecer a unidade, mas "preservar a unidade do Espírito" (Ef 4.3), que já temos em Cristo. Nossas vidas e a doutrina sobre a qual estão fundamentadas devem revelar a Palavra de Deus e a Sua verdade. Qualquer desvio disso nega a unidade que é nossa em Cristo. Aqueles que não são membros do corpo de Cristo por não crerem no Evangelho não podem fazer parte dessa família, e não há "unidade" que os crentes possam fabricar para conseguir tal coisa.
Dave Hunt

PRESCRIÇÕES P/ OFICIAR UM CULTO NO AT E QUE DEVEM REFLETIR NO NT


•Apresentar-se com roupas puras e brancas.
•Tinham que ter adornos perfeitos.
•Deviam ser totalmente consagrados (sangue nos dedos).
•Seguir as prescrições de como conduzir o culto...
•Cobrir-se de maneira discreta quanto a sua nudez.
•Privar-se de contaminação com a morte/doença/sexo.
•Tendo estado na presença de Deus, tinham que refletir para o povo a santidade, a majestade e a beleza de Deus.
•Falar a Deus em FAVOR do povo.

CONCLUSÃO: Tinham que elevar o povo até o padrão de Deus, e não trazer Deus aos padrões do povo...

ALGO A CONSIDERAR:

•No Sinai, Deus trouxe o povo a um lugar.
•No Tabernáculo, Ele trouxe o povo para Si mesmo.
•No Templo, Ele atraiu o povo para Si, em um lugar.

O QUE ISSO SIGNIFICA?

Que a adoração deve incluir ofertas, gratidão, devoção, desejo de comunhão, meditação, prontidão, voluntariedade e jamais poderá haver mesquinhez entre o Seu povo.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

GESTÃO DE PESSOAS

Casualmente encontramos líderes esbarrando em princípios de coerência na administração e causando maior estrago do que se o grupo não tivesse liderança... Por que?

No afã de maximizar os lucros e diminuir os custos, ainda existem líderes utilizando o falido método da reengenharia; este método foi implantado na década de 90 e utilizado em larga escala para salvar empresas da falência, e, como a crise da época oferecia terreno fértil para esses “magos”, logo a demanda fez surgir inúmeros profissionais, que por sua vez geraram toda uma geração de novos líderes, que, agora impregnados com a idéia de que seu trabalho só terá valor se após a sua passagem por determinada cargo de liderança ele vier a causar uma verdadeira transformação na “cara” das coisas.

Em alguns casos isso realmente se faz necessário. Mas onde está o problema, então?

Ele surge a medida em que, para maximizar os lucros e diminuir os prejuizos, a primeira atitude a ser tomada pelo novo líder é a de cortar o investimento no pessoal.

Em primeira instância isso pode ser necessário, pois “gordura” demais é a causa de inúmeras doenças e até de óbito precoce. Porém não nos referimos as “gorduras”, senão ao investimento... Educação, saúde, melhoria da qualidade de vida através de programas sócio-familiares, etc, não são gastos desnecessários, pois um funcionário pode ficar cinco anos sem receber aumento e ainda assim produzir muito; entretanto, quando seu filho adoecer e depender do falido SUS para solucionar seu problema, certamente o referido funcionário deixará de produzir o esperado pela empresa.

Pode-se ganhar “mal”, como diz o ditado popular, porém, se exister um programa de recompensas e ajudas de custo para o desenvolvimento pessoal, este baixo salário passará a ser compensado pelo investimento realizado na pessoa.

Porque investir nas pessoas?

* Pessoas têm o dom de fazer o sucesso ou o fracasso de qualquer empresa.
* Sem as pessoas, qualquer tecnologia, por mais necessária e inovadora que seja não funciona.
* Pessoas trazem dentro de si histórias de vida, emoções, saberes, crenças e expectativas.
* Pessoas tem necessidade de integrar seus sonhos a um projeto coletivo.
* Pessoas podem colocar seu talento a favor das organizações, quando encontram ambiente para tal.
* Pessoas são leais àqueles que as respeitam, abrem oportunidades e valorizam-nas.

Então, querido líder, antes de assumir um cargo e “enfiar os pés pelas mãos” arrebentando com as pessoas (que até aqui produziram e foram úteis), conheça a história de vida de cada um, saiba seus anseios e aspirações, ajude-os a nortear seu futuro e definitivamente invista nas pessoas, pois foi isso que o SENHOR JESUS fez em doze homens (que aliás não passariam em nossos modernos testes de RH) e obteve a maior instituição do mundo e de todos os tempos. ... e as portas do inferno não prevalecerão contra ela...

Pb. Sérgio Lenz

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

A LEI DO CAMINHÃO DE LIXO!


Um dia peguei um táxi e fomos direto para o aeroporto.Estávamos rodando na faixa certa quando de repente um carro preto saltou do estacionamento na nossa frente.O motorista do táxi pisou no freio, deslizou e escapou do outro carro por um triz!O motorista do outro carro sacudiu a cabeça e começou a gritar para nós.O motorista do táxi apenas sorriu e acenou para o cara.E eu quero dizer que ele o fez bastante amigavelmente.Assim eu perguntei: 'Porque você fez isto? Este cara quase arruína o seu carro e nos manda para o hospital!'
Foi quando o motorista do táxi me ensinou o que eu agora chamo "A Lei do Caminhão de Lixo".Ele explicou que muitas pessoas são como caminhões de lixo. Andam por aí carregadas de lixo, cheias de frustrações, cheias de raiva, e de desapontamento. À medida que suas pilhas de lixo crescem, elas precisam de um lugar para descarregar, e às vezes descarregam sobre a gente. Não tome isso pessoalmente. Apenas sorria, acene, deseje-lhes bem, e vá em frente. Não pegue o lixo delas e espalhe sobre outras pessoas no trabalho, em casa, ou nas ruas.O princípio disso é que pessoas bem sucedidas não deixam os caminhões de lixo estragar o seu dia. A vida é muito curta para levantar de manhã com sentimentos ruins, assim... Ame as pessoas que te tratam bem. Ore pelas que não o fazem.A vida é dez por cento o que você faz dela e noventa por cento a maneira como você a recebe!
Seja abençoado (a) e livre de lixo!
Anonimo

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Aprendendo com a Corça

Uma corça sedenta e exausta caminha pelo deserto. Logo, o animal avista a imagem de um lençol d’água sobre a areia. Começa a correr desesperada ao encontro da única substância que pode matar sua sede.

A corça é um animal de pequena estatura, arisco e de costume migratório. E uma característica interessante: a corça não suporta o confinamento.

É um animal dotado de olfato privilegiado que lhe possibilita sentir cheiro de água a quilômetros de distância. É capaz ainda de perceber, metros abaixo da superfície, a existência de um lençol de água.

Em regiões desérticas da África e do Oriente Médio, empresas construíram quilômetros de aquedutos sob a superfície terrestre. E as corças sedentas, ao pressentirem a água jorrando pelo interior dos dutos, correm por cima das tubulações na tentativa de encontrarem a nascente, ou então um possível local por onde essas águas pudessem ser alcançadas.

Certo poeta descreveu essa cena da corça farejando água, sob a areia do deserto, do seguinte modo: “Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus.” (Sl 42.1-2.)

Note que nesta passagem, Davi faz uma comparação. A sede dele pelo Senhor era comparada ao anseio de uma corça pelas águas. Em se tratando de um homem “segundo o coração o de Deus”, creio que esta comparação pode servir de parâmetro para nossa própria busca.

Mas, enfim, como é que a corça suspira e anseia pelas águas?

É com desespero. Gritando, correndo, buscando, farejando. Com sede. Com olfato privilegiado para localizar a fonte certa. Continuamente, todos os dias. Não se permitindo acomodar e fugindo do confinamento.

E nós? Estamos desesperados por Deus? Temos sede de sua presença? Temos corrido, buscado e nos desesperado por mais dele em nossas vidas? Temos buscado na fonte certa, diariamente? Ou temos nos contentado com a mediocridade do nosso “confinamento”?

Cada um de nós pode ter seu próprio “confinamento”. Coisas que nos prendem e nos impedem de sair em busca da água fresca que tanto precisamos. Podem ser pessoas, situações ou até mesmo “pequenos reinos” que construímos para nós mesmos (“meu emprego”, “meu ministério”, “meu evento” etc.).

Precisamos, como a corça, sair e correr. Precisamos de olfato aguçado para ir à fonte certa, que é Cristo. Afinal de contas, existem fontes sem água (2Pedro 2.17), e nuvens sem água (Jd 1.12).

E lembremos das palavras do Mestre: “[...] Quem tem sede, venha; e quem quiser, receba de graça a água da vida.” (Ap 22.17.)

Que o Senhor Deus tenha misericórdia de nós e nos guie.

Anonimo

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

FÉRIAS SERVE PARA...

Repor as energias... por que? Porque gastamos e desperdiçamos inutilmente a maior parte de nosso tempo com futilidades e coisas que não edificam nossa vida espiritual. Porque a exemplo de uma instalação hidráulica com vazamento, o normal é que demoremos muito a efetuar o conserto e para piorar preferimos "abrir" mais o registro para dar maior vazão de água e assim suprir as perdas pelos vazamentos.
Meditei nessas coisas e percebi que tenho em 2009 um desafio (se não for o maior da minha vida...) de mudar minhas prioridades! Deverei me dedicar muito mais a edificar a minha (e a dos meus ouvintes) vida espiritual do que a construção material. Não que eu vá negligenciar as pequenas e necessárias restaurações físicas, mas que elas não deverão absorver a maior parte do meu tempo, mormente porque tempo é dinheiro...
Esse desgaste proveniente do atrito das picuinhas do dia-a-dia é que exigem de nós as férias para repor as energias, porém conclui ao fim do meu referido "período de descanso" que na verdade eu voltei mais cansado, pois fui dormir tarde porque conversei com meus amados mais que o normal; andei e passiei mais do que o ano inteiro; fiquei mais tempo exposto ao sol observando o entardecer em 5 dias do que nos outros 360 dias do ano; dei gargalhadas até molhar o rosto simplesmente por estar feliz entre os que amo - coisa que não se faz todos os dias...
Não meus amigos - férias não serve para repor as energias - serve para gastar as energias...
Gastar as energias do negativismo. Gastar as energias do azedume. Gastar as energias das frustrações. Gastar as energias do desamor. Gastar as energias da falsa espiritualidade. Enfim gastar as energias da falsidade ideológica e demonstrar aos que amamos que os amamos simplesmente porque eles merecem o nosso amor.
Preparemo-nos para as próximas férias. Não para desgastarmos a casca materialista que vai tentar agarrar-se em nós durante essa caminhada - façamos isso diariamente aos pés da cruz... "porque não temos um sumo-sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas..." mas para estreitarmos os laços de amor, amizade e alegria entre nós e nossos queridos, pois na última hora da vida os holofotes não serão dirigidos a nós, nem as multidões nos aplaudirão de pé; haverá apenas um par de chinelos ao pé do leito, uma jarra de água, uma Bíblia e o olhar carinhoso daquele ou daquela que ao longo da vida recebeu nossa atenção.
Antes que venham as férias eternas, pratiquemos o abraço, o sorriso, o beijo e o afago carinhoso. Isto sim é repor as energias. Feliz 2009 a todos nós!

sábado, 17 de janeiro de 2009

COMO ANDA SUA PRÓ-ATIVIDADE?

Leia com atenção cada uma das afirmativas e atribua pontos de acordo com a seguinte escala:
Sempre = 5
Quase Sempre = 4
Às vezes = 3
Raramente = 2
Jamais = 1

Seja sincero!
SOU UMA PESSOA QUE...

1 - ...age prontamente sem depender de instruções alheias.

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais

2 – ...enfrenta obstáculos, agindo com determinação e persistência para superá-los.

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais

3 - ... que atua rapidamente e com firmeza durante uma crise, sem esperar que ela se resolva por si só, ou que outros a resolvam, pois sabe que as mudanças começam por você.

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais

4 – ...quando percebe um problema, já visualiza a solução e identifica oportunidades, que não são óbvias para as demais pessoas, agindo de forma eficaz para aproveitá-las em benefício do negócio.

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais

5 – ...prevê mudanças de cenários e ajusta positivamente os planos de trabalho de sua área, considerando várias etapas à frente.

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais


6 – ...possui espírito crítico e questionador e aponta desvios das ações relacionados à visão de futuro da empresa.

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais

7 – quando tem alguma dificuldade com outra pessoa, toma a iniciativa de conversar diretamente com ela e resolver logo a situação.

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais

8 – ... promove um clima grupal de abertura e confiança com a equipe.

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais

9 – ... incentiva a participação e a inovação, valorizando o aprendizado por meio do erro, em vez da punição do culpado.

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais

10 – ...por atitudes e exemplos pessoais, valoriza e incentiva a iniciativa e pró-atividade da equipe, fortalecendo as pessoas (empowerment).

a. [ ] Sempre

b. [ ] Quase Sempre

c. [ ] Às Vezes

d. [ ] Raramente

e. [ ] Jamais


ANÁLISE DE RESULTADOS:

41 a 50 pontos:
Sua PRÓ-ATIVIDADE é bastante alta. Você é uma pessoa PROATIVA e estimula este comportamento nos outros, através de seu exemplo pessoal e criando um ambiente favorável à iniciativa de sua equipe.

31 a 40 pontos:
Sua PRÓ-ATIVIDADE é desenvolvida , mas você precisa estimular este comportamento nas pessoas, através de exemplos pessoais e da criação de um ambiente de abertura e confiança para sua equipe.

21 a 30 pontos:
Sua PRÓ-ATIVIDADE é mediana. Você precisa desenvolvê-la um pouco mais, procurando melhorar naqueles aspectos em que sente mais dificuldade, ou seja, aquele comportamento em que você adota: às vezes, raramente ou nunca, conforme suas respostas no teste . Converse um pouco mais consigo mesmo, e esteja aberto a receber mais feedback das pessoas.

10 pontos ou menos:
Sua PRÓ-ATIVIDADE é bastante baixa e, possivelmente, isto esteja se refletindo em sua forma de liderar. Para ter uma liderança eficaz, você precisará desenvolver esta competência. Tomar consciência desta necessidade é o primeiro passo; o segundo é desenvolver um plano de ação, procurando superar seus próprios limites e aprender com todas as experiências positivas e negativas, suas ou de terceiros. Seja mais observador do comportamento dos outros, especialmente daqueles que você considera muito bons nesta competência. Procure desenvolver habilidades e atitudes que contribuam para a pró-atividade: auto-estima, autoconfiança, assertividade, capacidade de decisão, coragem para correr riscos.

O autodiagóstico é baseado na sua autopercepção. No entanto, as pessoas que convivem com você podem ter uma percepção diferente da sua sobre como você manifesta esta competência. Por isso, peça a algumas delas que lidam como você no dia-a-dia para responderem este teste, analisando o seu comportamento e, depois, compare com o seu resultado.

Analise as diferenças, troque idéias com estas pessoas e veja exatamente quais são os pontos que você pode aprimorar.

Pense de que forma estes aspectos podem estar impactando positiva ou negativamente o seu desempenho profissional e o seu sucesso pessoal!

OBS. Material retirado do programa de Educação Permanente "Desenvolvimento das Competências do Executivo Século XXI" (17 Módulos)

Denize Dutra
Consultora do MVC